Inicio / Histórias / Coluna do Osmario / 10 motivos para se tornar fã dos Cachimbos Corn Cobs
A Jornada do Tabaco… 10 motivos para se tornar fã dos Cachimbos Corn Cobs A Morte Anda a Cavalo (1967) – CinePipe Cinco Semanas Num Balão – 1962 G. L PEASE: O HOMEM POR TRÁS DAS MISTURAS PipeCast – PodCast As 7 Faces do Dr. Lao (1964) O Irmão mais esperto do Sherlock Holmes (1975) Monty Python em Busca do Cálice Sagrado (1975) Preferências Pessoais Dia de São Patrício (St. Patrick’s Day) Jean Nicot: O diplomata estudioso que apresentou o tabaco para a França Onde Comprar Cachimbos e Tabacos? 1492 – A Conquista do Paraíso (1992) Bastardos Inglórios / Assalto ao Trem Blindado (1978) O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei Experimente Tudo Duas Vezes Conan – O Bárbaro (1982) As Aventuras de Sherlock Holmes (1984) – T. 01 – E. 06 – A Faixa Malhada As Aventuras de Sherlock Holmes (1984) – T. 01 – E. 05 – O Corcunda As Aventuras de Sherlock Holmes (1984) – T. 01 – E. 04 – O Ciclista Solitário As Aventuras de Sherlock Holmes (1984) – T. 01 – E. 03 – O Tratado Naval As Aventuras de Sherlock Holmes (1984) – T. 01 – E. 02 – Os Dançarinos As Aventuras de Sherlock Holmes (1984) – T. 01 – E. 01 – Um Escândalo na Boêmia O Dirigível Hindenburg (1975) O Sobrevivente (1987) Falcão – O Campeão dos Campeões (1987) Scarface A Vergonha de uma Nação (1932) A Missão (1986) Por um Punhado de Dólares (1966) A Máquina do Tempo (1960) A Corrida do Século (1965) Comando Delta (1986) Os Irmãos Cara de Pau (1980) Presbyterian Mixture Por uns Dólares a Mais (1965) MacArthur – O General Rebelde (1977) O Enigma da Pirâmide (1985) Esses Homens Maravilhosos e Suas Máquinas Voadoras (1965) Três Homens em Conflito (1966) O Primeiro Assalto de Trem (1978) Popeye (1980) 20.000 Léguas Submarinas (1954) A Noite dos Mortos Vivos (1968) O Mágico de Oz (1939) Independência ou Morte (1972) McLintock! Quando Um Homem É Homem (1963) O Expresso do Horror (1972) As Aventuras de Tom Sawyer (1938) Como fazer Black Cavendish Sherlock Holmes em Noite Tenebrosa (1946) Sherlock Holmes e o Cão dos Baskerville (1939) Como fazer Prensa para Tabacos As Aventuras de Sherlock Holmes (1939) Sherlock Holmes e a Mulher de Verde (1945) Sherlock Holmes e a Arma Secreta (1943) Sherlock Holmes em Vestida para Matar (1946) O Senhor dos Anéis – As Duas Torres Pirate Kake Como fazer Perique Como fazer Cavendish Balkan Sobranie O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel Volta ao Mundo em 80 Dias Árvore e Folha – J.R.R. Tolkien Um Estudo em Vermelho SOL DA TOSCANA – TABACO COMEMORATIVO 1 ANO A DIFERENÇA entre o ANTÍTODO e o REMÉDIO é a … A Nobre Arte de fumar Tabacos em Cachimbo é o Ovo do Giba ENVELHECIMENTO DE TABACO COM G. L. PEASE 7 COISAS QUE APRENDI COM O PRIMEIRO ANO DO GRUPO CACHIMBOS Precisamos de mais Churchwardens História da Missouri Meerschaum Algumas técnicas avançadas para cachimbar Fumando Espiritualmente (Pt. 1), um poema cristão sobre cachimbar 5 Dicas para um Cachimbo Diário Perfeito A História dos Isqueiros Zippo Secagem Artificial de Tabaco Regulamento do Tabaco Amigo Breve apanhado histórico do surgimento das Misturas da Dunhill Cachimbos, devoção e a fuga matinal da loucura O Mundo Secreto do Cachimbo 13.° hangout dos cachimbos Um grande dia para os entusiastas da Peterson (of Dublin)™ Avaliação de Tabacos para Cachimbo Cachimbos e o Naufrágio da Resistência 12.° hangout dos cachimbos Uma Reflexão sobre Tretas 10º Drop do Cachimbos 9º Drop do Cachimbos Oitavo Hangout do Cachimbos Sétimo Hangout do Cachimbos Mas afinal, qual é o melhor tabaco que existe? Sexto Hangout do Cachimbos Quinto Hangout do Cachimbos Quarto Drop do Cachimbos O Cachimbeiro que ouviu o “mimimi” e quase se deu muito mal Guia sobre Cachimbos e como fumá-los O Cachimbeiro Onipotente Terceiro Hangout do Cachimbos

Coluna do Osmario, Histórias

10 motivos para se tornar fã dos Cachimbos Corn Cobs

 

Gosto de pensar que, dentre aquelas poucas unanimidades que existem no mundo dos cachimbos, estão aqueles feitos de sabugo de milho: os famosos corn cobs.

Adorados por uma legião de fumadores, os corn cobs são a prova viva de que, muito embora a prática de fumar em cachimbos seja uma atividade em franco declínio ao redor do mundo, ainda há muita brasa para ser queimada. E que assim seja!

Há mais de 150 anos, a Missouri Meerschaum (em suas primeiras décadas, de 1869 a 1907, chamava-se H. Tibbe & Son Co.) vem produzindo seus cachimbos de maneira praticamente idêntica àquela de seus primórdios. A prova disso está, não apenas, nos modelos icônicos preservados marca até os dias de hoje, mas na própria linha de produção que, apesar de algumas adaptações necessárias, ainda possui muito trabalho manual envolvido. Além disso, a própria fábrica está instalada no mesmo prédio de tijolos vermelhos construído nos idos de 1880, em substituição ao velho casarão de madeira, onde esta fabulosa história começou: à beira do grande Rio Missouri.

Para sobreviver durante tanto tempo e, ainda assim, prosperar, poucas não devem ser as razões para tamanho sucesso dessa marca que, segundo o atual gerente geral, Phil Morgan, produz, em média, 3.000 cachimbos por dia, atendendo uma clientela fiel ao redor do mundo.

Após competir durante décadas com, pelo menos, outros cinco fabricantes instalados na mesma região (Buescher’s, National Cob, Phoenix American Pipe, Wally Frank e seu principal competidor, Hirschl & Bendheim), a Missouri Meerschaum se sobrepôs a todos seus concorrentes, firmando-se não apenas como a primeira, mas como principal fabricante de cachimbos de sabugo de milho dos Estados Unidos. Inclusive, com a mais recente incorporação, em 2021, da Old Dominion Pipe Co. (uma microempresa familiar fundada pelos irmãos Bob e Bill Savage, em 2013, na cidade de Painter, Virginia, com foco na reprodução de cachimbos históricos originários dos povos nativo-americanos).

É lógico que tamanho sucesso se deu, em grande medida, pelo empenho que os proprietários dedicaram à marca ao longo dos anos. Desde a sua fundação, em 1869, pelo holandês Henry Tibbe e seu filho Anton, a Missouri Meerschaum já trocou de proprietários em quatro oportunidades: 1912; 1978; 1983; chegando ao ano de 1988, com o atual quadro societário (pasmem, nenhum deles fuma!).

Por outro lado, me parece que uma história de 150 anos não se sustenta apenas com habilidade nos negócios. Tal como afirmei anteriormente, não devem ser poucas as razões para tamanho sucesso.

Sendo assim, em homenagem ao triplo jubileu que a empresa alcançou em 2019, tentarei apontar adiante dez razões que, na minha avaliação, justificam a existência de um público tão fiel e crescente; uma legião de fãs e entusiastas dos corn cobs da Missouri Meerschaum.

 

1. QUALIDADE DA FUMADA E CONFORTO

Os corn cobs da Missouri Meerschaum são famosos pela excelente qualidade de fumada que proporcionam: eles possuem um fluxo solto, que possibilita uma fumada fácil e sem esforço. Têm boa resistência às altas temperaturas, conseguindo suportar a variação repentina de calor sem maiores riscos à própria integridade do fornilho. Além disso, dada a sua porosidade, eles possuem uma capacidade de absorção de umidade muito elevada; característica que, aliada à forma de sua construção, em termos práticos, implica que dificilmente um corn cob vai apresentar aquele inconveniente “gargarejo” no fundo do fornilho durante a fumada.

Tais fatores somados, são ainda potencializados por uma piteira muito fina e confortável; e, pós um período de aproximadamente dois anos de secagem, os corn cobs se tornam assombrosamente leves! Mas não apenas isso, tamanha leveza associada a uma geometria, no mais das vezes, bem equilibrada, faz com que esses cachimbos se tornem muito confortáveis de fazer o “clinch” (sustentar com os dentes).

2. RELAÇÃO CUSTO-BENEFÍCIO

Em cifras norte-americanas, os corn cobs em tamanho regular partem da alçada aproximada de seis dólares, sendo que seu exemplar mais caro (uma espécie de “freehand”), custa atualmente algo próximo de 40 dólares. Há um tempo atrás, havia à venda um pacote seconds (cachimbos que não passaram pela inspeção de qualidade por falhas estéticas, mas são perfeitamente fumáveis), vêm num pacote sortido com dez unidades, que custava algo próximo US$26.00.

Em sites brasileiros, é possível encontrar corn cobs a preços acessíveis, melhor dizendo, num custo muito baixo em comparação aos cachimbos de briar, ou outras madeiras menos nobres, com uma contrapartida de preço extremamente vantajosa, dada tamanha qualidade da fumada que eles propiciam.

3. CUSTOMIZAÇÃO

Além de muito baratos, esses cachimbos são altamente customizáveis, sendo comum seus donos personaliza-los, pintando-os das mais diversas cores, ou ainda, substituindo as piteiras de plástico pelas de acrílico, como era o caso das antigas forever stems (atualmente fora de produção), que eram vendidas no site da walkerbriarworks.com, mas que ainda podem ser encontradas à venda no site vermontfreehand.com.

4. FACILIDADE DE CONDICIONAMENTO

Corn cobs, basicamente, não precisam passar pelo processo de “amaciamento”. Com isso, eu não quero dizer que eles não “amaciem” após as primeiras fumadas; mas eles não necessitam de um cuidado maior no início, isto é, uma atenção muito grande do fumante antes de criar aquela fina crosta de carbono que protege a borda interna do fornilho (cake). Que, aliás, sequer é recomendável nesse tipo cachimbo.

Ou seja, desde a primeira fumada, eles são tão resistentes às altas temperaturas que simplesmente dispensam maiores cuidados; torando-os, inclusive, altamente indicados para iniciantes.

5. RESISTÊNCIA

Muito embora alguns entendidos defendam que os corn cobs não são tão resistentes, quando comparados aos cachimbos de briar, fato é que, guardadas as devidas proporções, estes cachimbos têm capacidade de suportar, com bastante tranquilidade, certos “abusos” por parte de seus usuários. Eles podem ser utilizados repetidas vezes num curto espaço de tempo e de maneira não intercalada; isto, contudo, sem interferir grandemente na qualidade da fumada e na sua própria durabilidade.

6. VIDA ÚTIL

Ainda que sejam considerados como cachimbos “descartáveis” pelo mercado americano, quando bem cuidados, os corn cobs podem alcançar uma vida útil que facilmente ultrapassa décadas de uso frequente. De modo que, não raro, encontramos proprietários orgulhosos, fumando, de quando em vez, em seus cachimbos já com dez, ou mesmo, vinte anos de uso.

7. RESISTÊNCIA AO “GHOSTING

Outra característica positiva dos corn cobs está na peculiaridade de que, em muito pouco, eles preservam o aroma do tabaco anteriormente utilizado (ghosting). De modo que, eles dificilmente ficam impregnados com os aromas da fumada anterior; e, por conta dessa característica, os torna cachimbos ideais para a degustação de tabacos. Ainda assim, eu particularmente não recomendo utilizar tabacos artificialmente aromatizados no mesmo cachimbo onde fumamos tabacos não aromatizados.

8. PEÇAS DE REPOSIÇÃO

A simplicidade aplicada na construção dos variados modelos da Missouri Meerschaum tem como ponto chave a compatibilidade das piteiras e anéis (ou ferrolhos) que são vendidos avulso por valores inexpressivos, aumentando, assim, a própria vida útil desses cachimbos, que podem ter suas piteiras trocadas por outras originais, sem qualquer necessidade adaptação.

9. COMPATIBILIDADE COM FILTROS

Para aqueles que preferem, esses cachimbos comportam filtros. Normalmente, utilizam-se os “filtros” de balsa, e nesse ponto eu estou utilizando os parênteses porque a balsa não realiza uma filtragem propriamente dita, mas uma absorção da umidade contida na fumaça.

10. ICONICIDADE

Símbolo da cultura “moonshiner”, a singularidade estética desses cachimbos, somada às tantas personalidades que orgulhosamente já o ostentaram faz com que esta seja, talvez, a característica mais interessante e controversa dentre todas as outras então faladas. Ao longo do tempo, os corn cobs ganharam adeptos famosos a exemplo do Coronel Douglas MacArthur, o escritor Mark Twain e o inesquecível personagem de desenhos Popeye.

 

Para você, leitor, que chegou até aqui, esta é minha singela contribuição. Espero ter despertado o interesse e, se possível, esclarecido algumas dúvidas a respeito desse ícone americano.

Desejo a todos excelentes cachimbadas!

(https://corncobpipe.com/tips-about-cobs/)

image_pdfimage_print

Poste um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*